quinta-feira, 6 de junho de 2013
As vezes tudo o que eu quero é abrir as asas e sair por aí, sem um destino, apenas com a palavra liberdade tatuada em minha testa, parece loucura, meu ser, minha alma está se sentindo presa, na verdade por toda a vida está aprisionada. Pareço louca, mas na verdade sou, mas este estado não justifica, ficar presa e sentir-me sozinha, já não é mais nenhuma novidade.
Há dias sonho com adorinhas sendo libertas de uma gaiola, poderia ser um sinal de que minha liberdade está perto, imagino cada coisa em minha mente, que pode ser até pertubador, jurei confidência eterna à certas idéias que posso chamar de "mirabolantes", só que ultimamente ando, estranha, iqueieta e entrsitecida, posso não demontrar, mas minha alma grita horrores.
Ultimamente ando muito escrevendo sobre liberdade, mas sem mesmo saber seu real significado, acho que, todas as pessoas repreendidas de "viver intensamente" e "fazer o que bem entender", tentam imaginar o que seria a real independencia, clichê? Mas real.
Meu caro, ainda tento me entender, mas enquanto isso não acontece, tenho minhas palavaras para que alguém possa tentar me compreender, pois quando ninguém consegue me ouvir, eu semplismete escrevo, caro amigo, obrigada por me dar este tempo. Alguma vez, disse para a alma, que chorar nunca leva ninguém à lugar nenhum, mas, por um instante de silêncio ela me respondeu que pode limpá-la, isso me confortou, mas é uma pena essa lágrima cair em um chão sujo e sem vida.
Nossa, agora nem sei mais o que estou falando, minha cabeça dá voltas e estou confusa, deitar e dormir não é uma boa opção, meus livros estão na cabiceira e minha mão não continua trêmula de frio, céu estrelado e minhas folhas estão acabando, não percebi mas da janela do meu quarto consigo ver a lua, tão linda... Pena que meu amor, ou a liberdade não está aqui para mim usufruir de tanta beleza.
Queria poder voar como as andorinhas, e passar de lugares estranho à lugares comuns a cada estação, seria mágico e lindo, sentir o vendo no rosto e apenas observar  como anda aqueles loucos na calçada, ah meu Amigo, bem, não estou bem, sou estranha demais para imaginar, um amigo imaginário.
Estou louca, vou me deitar, uma boa noite.

Lari F

0 comentários:

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de jornalismo,20 anos.Tenho uma paixão por romances, Paris, cor de rosa e morangos. Gosto de dias nublados e arranha-céus ... Apenas leia meus sonhos líricos.

Visitas

Instagram

Curta no Facebook

Twitter

Followers

Translate

Larissa Figueira. Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas