quinta-feira, 30 de maio de 2013
Mas eu não consigo entender o que há de tão medíocre ser estranho, para mim e também à aquela minoria sensata, isso é a melhor coisa que se poderia resistir. Não defino "estranhice", muito menos à considero um verbo ou substantivo, é irônico dizer o quão estranho você é e todos te olham, juro, essa palavra parece que não está constituída em nosso dicionário, pode não acreditar, mas elas riem dizem que estou "delirando" e o pior me ofendem ao dizer que não sou, como assim? A minha maior virtude é mal colocada para a sociedade.
Confesso, vejo o mundo com os olhos de quem necessita de palavras, pois ninguém consegue realmente te ouvir, eu sei, eu sei, hoje em dia é difícil esses seres entenderam a complexidade de certas coisas eternamente simples. Existem tantas vantagens de ser invisível, que a cada dia cada um que aparecer para a sociedade ainda mais, posso perceber que a minha contradição foi completamente desentendida pela maioria, mas meu caro, se conseguiu me compreender, te darei o título de mais um louco para aquele mundo que um dia todos irão se deparar.
Tenho a necessidade de ser compreendida nem que seja por um, papel, ser humano, meu peixe ou apenas, você que ainda compreende minha loucura através destas miseras palavras, escritas por uma louca que pinta de escritora, que na verdade, eu, eu mesma, amigo, transformo minha loucura em palavras, são como meus livros, sim, prefiro os que falam a verdade do que aqueles que nos iludem com o menino rico e a menina romântica e vivem felizes para sempre. Minha "estranhice" não é comparada à contos e sim realidades, a minha necessidade e vantagem de ser estranha, é que posso ver o infinito com palavras inventadas, braços abertos e sonhos reconstruídos, eu gosto de "esquisitices" e músicas de uma garota de treze anos, mesmo completando dezessete por meses atrás, odeio clichês adolescentes, principalmente videoclipes da moda, aliás tudo envolvido em mídias sociais me enjoa, na realidade não existem os "porque's" para todas as perguntas que vocês, amigos, estão fazendo, por isso não sinto a mínima necessidade de responder, aliás ser estranha, pode parecer chato, mas você se livra da privacidade de não dizer o que pensa.
Estava escutando a música de um homem que vou dizer que também era estranho, uma pena que já morreu, todos aqueles bons, morreram de coisas ruins, mas enfim, somos até hoje uma geração "coca-cola", onde obter inteligência é "entediante" pois ficamos diferente dos outros, não entendo, o que há de errado ser diferente, é bem mais interessante ser invisível, estranho , irreconhecível e com certeza sentir o infinito, do que cair na moda e ser apenas mais um que não irá fazer diferença no mundo.
Acredito que são poucos estranhos neste lugar que chamamos de sociedade, uns poucos que não necessitam se derramar em romances, e sim encarar a real vantagem de tudo isso, meu, meu amigo, somos privilegiados por realmente ser diferentes e encarar a melhor vantagem de ser invisível neste Mundo carregado de imagens.

Lari F

0 comentários:

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de jornalismo,20 anos.Tenho uma paixão por romances, Paris, cor de rosa e morangos. Gosto de dias nublados e arranha-céus ... Apenas leia meus sonhos líricos.

Visitas

Instagram

Curta no Facebook

Twitter

Followers

Translate

Larissa Figueira. Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas