segunda-feira, 20 de maio de 2013
Quando digo que não necessito de amigos pois tenho meus livros, jamais penso que seja "da boca para fora". Em um mundo onde a hipocresia domina, inveja e a vontade de certeas pessoas tomarem a vida das outras, me assusta profundamente. Minha coragem desejaria sumir para os sonhos, navegar por um mar de livros e com certeza andar sobre as nuvens que eles acontecem, pareço uma criança, mas acredito em tudo quando nos relacionamos à sonhos e vontades.Quando temos sete, oito anos, desejamos sorvetes e uma boneca, após isso as novens aumentam e a ambição também, todos dizem que devemos nos policiar e saber interpretar as fases da vida, mas não, a vida nos transforma cada vez mais em crianças apaionadas por ela, não em apenas pessoas que vão desaparecendo com as cinzas da evolução.
Creio eu, em vidas distintas da sociedade, onde através de um espelho cada um se concte com si próprio. Meu caro, Deus nos fez crianças para livre voar, deixar a poeira dominadora de todos os que acreditam no poder da ignorância e ser feliz por esse mundo.
Posso me proporcionar claros momentos, após abaixar minha cabeça sobre um livro e viver a história da Clarissa, Valentina, Abigail, José, Francisco, e a sua, meus melhores amigos são ótimos contadores de sonhos, eles a cada dia me mostram um novo mundo, novos ares e sociedades, posso voar ser eu mesma, sem me repreender com pessoas me olhando me achando maluca.
Meu quarto vermelho, com andorinhas pretas, e nisso, o que mais me chama atenção é a casa dos meus amigos, ela é branca e posso enchê-la todos os dias com as novas amizades que faço, gosto de fechar os olhos e escolher quem me contará a história, preparo as asas e resolvo voar, para longe, àquele lugar, onde sabem que me sentiria bem. Crio heterônimos, para que eles vivam minha tão sonhada vida, enquanto moro aqui, em um quadrado, e mesmo assim me proporcionando momentos únicos com a minha loucura. Nomes diferentes, vidas, viagens e trabalhos, eles podem através disso me mostrar o dom do sonho, o dom da estranhice, loucura e também, proporcionam asas e novas vontades de ser feliz.
Meus melhores amigos, exigem todo o meu respeito e minha dedicação, seja o quão velho for, se é da biblioteca- onde esqueci de devolver- ou, da prateleira daquela livraria que poderia ser minha casa. Eles me levaram junto para submundos, e também para "felizes para sempre", onde a cada final posso chorar sem    que achem estranha, porque sou.
Amizades são aquelas que queremos para a vida, e eu quero voar, ser livre, poder morar num quadrado e livre ser quando bem entender.

Lari.F

0 comentários:

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de jornalismo,20 anos.Tenho uma paixão por romances, Paris, cor de rosa e morangos. Gosto de dias nublados e arranha-céus ... Apenas leia meus sonhos líricos.

Visitas

Instagram

Curta no Facebook

Twitter

Followers

Translate

Larissa Figueira. Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas