segunda-feira, 18 de março de 2013
Lá estavam os dois, no quintal da casa dela, de noite, olhando as estrelas , tudo perfeito em noite perfeita, estava fresco, pareciam aqueles casais de filmes. Acabou o assunto, o silêncio dominava a noite, ela puxou o assunto dizendo a ele se sentiu algo diferente nestes quase um ano juntos, e novamente ele diz "sei lá"! Isso a magoa, estava estranho, quieto parecendo no tédio, mas era domingo, sempre o dia de fazer nada, mas só de estar com ele ela se sentia bem, nem precisava de palavras, o contrário, o garoto estava, parecia-me desconfortável.
Juro, que ela não entende tantas coisas, desnecessárias, mas compreensíveis, hoje ele estava seco, sua cabeça nas nuvens, era nítido, a garota estava fazendo de tudo para o alegrar e chamar sua atenção. Foi em vão, clima tenso e obscuro, acontece nas melhores relações. Ele se foi, em silêncio, com harmonia, foi sair, se alegrar, sou razão, não sei ao certo, mas com um amigo dele ter ido, mas ela não tinha muitas amigas e resolveu ficar se lamentando sozinha, tinha dó ela era "estranha' quieta e não sabia se abrir com os outros, sua única amiga morava longe e não estudavam mais juntas, para ela tudo era bem mais complicado do que pra ele.
Não se viam durante a semana, era corrido, apenas faziam o possível para se verrem em uma "brecha" de compromissos, passou-se seis dias e assim foram se ver, o clima tinha melhorado, um pouco. Estava perto do aniversário da garota, ele não queria estragar nada, mas de tanto ela insistir do por que de estar estranho, abriu o jogo, ela era a culpada de tudo, a briga começou meio hora antes do dia de seu aniversário, e que aniversário, a primeira briga que jamais será esquecida, os dois ficaram acabados, pensei que este relacionamento iria acabar, mas algo foi mais forte, não sei o que, mas foi.
Ambos foram dormir, já era o "dia dela", nem para isso a garota ligava, estava aflita e se sentindo a pessoa mais culpada do mundo por quer "quase" acabado com o que tinha de melhor na sua vida, seu namoro, sua vontade era de jogar tudo pelos ares fugir e voltar quando ele sentisse falta, mas era provalvelmente impossível, ficou apenas na vontade.
Para mim o resto do dia foi normal, como todo aniversário, várias frases de felicidades, inclusive dele, de quem ela esperava mais. Era improvável, ele se demontra de manieras desconhecidas, mas ela sente. Seu anicversário foi "uma comédia", todos se distrairam e riram até acabar o "gás".
Agora percebo que o relacionamento melhorou, esqueceram a briga, e percebo que ele gosta da garota de seu jeito desastrado, mas com muito carinho, pois existem várias formas de amar, mesmo sem saber o que significa essa palavra.

Lari F

0 comentários:

A Blogueira

A Blogueira
Estudante de jornalismo,20 anos.Tenho uma paixão por romances, Paris, cor de rosa e morangos. Gosto de dias nublados e arranha-céus ... Apenas leia meus sonhos líricos.

Visitas

Instagram

Curta no Facebook

Twitter

Followers

Translate

Larissa Figueira. Tecnologia do Blogger.

Postagens mais visitadas